A Luta de Rambam contra a Idolatria


No tempo antigo a crença na corporeidade de D’us era muito forte. As representações divinas foram evoluindo em sua complexidade migrando de corpos celestes, animais, meio humano e animal até chegar a forma humana completa. Nessa evolução não apenas eram dotadas de corpos, mas também era concebida na consciência popular desejos e necessidades. A crença na humanização do divino fez com que para se estreitar a relação com o homem o divino se materializasse em humano deixando o panteão para habitar entre os homens.

A vezes por ser monoteístas e fazer parte de um povo tão antigo e de um sistema religioso com fundamentos firmes há centenas de anos pensamos que estamos livres das influências idólatra de outros povos. Salvo os que cresceram muito bem orientados na fé judaica, muitos judeus imaginam as mãos de D’us formando o homem ou escrevendo as tábuas da lei. E por que não se imaginaria? No próprio Tanach há diversas manifestações dos profetas descrevendo ou referindo-se a Hashem como alguém dotado de órgãos como os humanos.

No século X com a expansão do Islã e com a logísticas de mercadorias do Meio Oriente e Norte de África para abastecer o mercado Europeu, as comunidades judaicas passam a estreitar os contatos entre si e também a ter contato com culturas e ciências externas. Este contato permite a troca de informações e, o que parece, conceitos mal compreendidos do judaísmo os passaram a ser um problema para a fé mosaica.inscreva.png

Não se sabe ao certo quem eram os rabinos que criam na possiblidade de Hashem ter corpo. Investigadores apontam para Rabi Moshe Tako por sua obra “Ketav Tamim” que discute os pensadores judeus como Rambam e Ibn Ezra. Livro muito difícil de encontrar e ainda não tive acesso a ele. Porém vi que há quem alegue que a discussão no livro não é sobre a corporeidade física, mas sim na visão profética apenas. Uma outra opinião põe na mira RASHI, Rabi Shlomo Itzhak, por seu comentário em Sefer Bereshit ao dizer que o homem foi feito segundo a forma de D’us. Este também tem uma defesa forte por parte de RAM, Rabi Eliyahu Mizrahi (século XV) que reverte a compreensão superficial alegando que Rashi se refere a uma forma qualquer, na qual se seu por conhecer como humana.

Maimônides percebe a problemática e se vê na necessidade condensar as leis judaicas e a fé para que as comunidades pudessem ter a melhor compreensão da Torá. Dentro de seus escritos um dos pontos que mais vemos enfatizados são a existência de Hashem, sua unidade e a inexistência de corpo. Escreve assim os 13 Princípios da fé judaica onde agrega aí a existência, unicidade e imaterialidade. No decorrer dos seus escritos vemos Maimônides repetir estes três pontos em muitas oportunidades: Hakdamá LePerek Helek, Sefer Hamitzvot, Hilchot Yesodei Torá, Avoda Zará, Teshuva, Carta a Iêmen, Carta sobre a Ressureição.

Em Guia dos Perplexos, Morê Nevuchim, Maimônides faz, ao meu ver, sua obra literária mais audaciosa. Escreve um texto de difícil compreensão com orientações explícitas para a compreensão e com regras para os futuros tradutores e o destina a um público seleto de amantes da Torá e da filosofia. Propõe argumentar de acordo com o pensamento dos filósofos, principalmente Aristóteles e Platão, a fim de mostrar que mesmo pela crença de que o mundo seria pré-existente se possa provar a existência de Hashem, sua unidade e imaterialidade para só então poder defender de que o mundo fora criado.

Este é um resumo da orientação de Maimônides em defesa da Torá que esperamos de dentro de em breve poder nos aprofundar em futuros artigos e aulas.

Anúncios


Categorias:Biografia, emuná

Etiquetas:, , ,

2 replies

  1. Gostei muito das postagens.!
    Muitos educativos!!!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: