Um novo rei se instalou no Egito


Wallpapers 1920x1080וַיָּקָם מֶלֶךְ-חָדָשׁ, עַל-מִצְרָיִם, אֲשֶׁר לֹא-יָדַע, אֶת-יוֹסֵף

“Um novo rei se instalou no Egito, o qual não conheceu a Yosef” (Shemot 1:8)

Se Yosef foi tão importante para o Egito o livrando da fome como pode ser que de repente sua memória tenha sido esquecida? Os sábios explicam de duas formas: ou que o mesmo Faraó que exaltou Yosef o ignorou ou um outro rei (filho ou parente do anterior) e resolveu ignorar a Yosef. Em ambos os casos é clara a intenção de revogar os favores ao povo hebreu o que nos leva a entender que o esquecimento não é por falta de vitamina D.

Desde já digo que não há uma resposta clara e definitiva para esta questão. O que irei escrever aqui são meras cogitações com base nos relatos bíblicos baixo uma interpretação pessoal.

Tenho que encontrar um ponto de partida para a análise e para isso me pergunto primeiramente quando aconteceu a revogação dos favores aos Hebreus. A resposta é fácil e está nos pasukim que antecedem o supracitado. Diz a Torá:

וַיָּמָת יוֹסֵף וְכָל-אֶחָיו, וְכֹל הַדּוֹר הַהוּא

“E morreu Yosef, e todos seus irmãos e toda aquela geração” (1:6)

Se tomamos ao pé da letra a expressão “toda aquela geração” (o que não é obrigatório) entendemos que também o Faraó que beneficiou a Yosef morreu e outro, provavelmente seu filho, assumiu o seu lugar. E quanto tempo foi isso?

Vimos que a revogação dos benefícios aconteceu apenas depois da morte de Yosef e todos os seus irmãos. Dentre todos os irmãos de Yosef a Torá traz apenas os anos de vida de Levi que foram de 137 anos. Levi foi o terceiro filho de Yaakov, nascendo aproximadamente no terceiro dos sete anos em que Yaakov trabalhou por Rachel. Yosef foi o último filho que nasceu em Haran, no sétimo ano, o que faz com que a diferença entre as idades de Levi e Yosef seja de sete anos[1].

 

Tefilin Peshutim BAR-MITZVA

Tefilim Kasher leBracha Peshutim para Bar Mitzvá

R$1,340.00

Yosef começou a governar o Egito como vice-rei na idade de trinta anos[2] e reinou até a sua morte aos 110 anos[3]. Isso significa que Yosef governou por 80 anos os quais somados aos 23 anos que Levi permaneceu vivo após a morte de seu irmão descontando 9 anos (7 de fartura e 2 de fome que a família que Yosef ainda estava em Canaã[4]) nos dá o total de 97 anos em que vigoraram os benefícios aos Hebreus na terra do Egito.

Segundo estes cálculos o Faraó que concedeu a Yosef o vice-reinado se estivesse vivo estaria com idade bem avançada. Isso nos leva a considerar coerente que realmente aquela geração houvera passado e outro Faraó estaria em seu lugar, tomando os pasukim em seu entendimento literal.

Quando se instala um novo reinado surge a oportunidade de barganhar tudo o que o rei anterior não quis conceder e mudar os decretos que incomodavam a elite. Em outras palavras, mudança de postura de governo. Havia motivo para isso? SIM!!! HAVIAM MOTIVOS SIM!!!

idcwp-eg-010-1_grandeA primeira coisa que certamente incomodou a corte de Faraó foi que não apenas um estrangeiro, mas um escravo e prisioneiro tenha assumido o maior posto de governo do Egito estando abaixo apenas do Faraó. E assumiu este posto não apenas porque Faraó o quis beneficiar, mas porque teve a audácia de se postular ao cargo ao dizer: “e agora, proveja, Faraó, um homem sábio e inteligente para governar sobre o Egito”[5] e orientar como deveria proceder para armazenar alimento o suficiente para superar os anos de fome. As sugestões agradaram ao Faraó o qual pergunta a seus servos: “onde há um homem como esse sobre o qual está o espírito de D’us?” Isso já seria motivo o suficiente para uma boa dose de vinho envenenado. Mas não termina por aqui.

Yosef repartiu governadores sobre todo o Egito para fazer cumprir suas ordens. Tomou a quinta parte das terras para armazenamento completo dos grãos. Tudo ia para os armazéns que estavam nas grandes cidades. Que quinta parte Yosef teria tomado? Em um lugar desértico como o Egito certamente tomou, pelo menos, a quinta parte produtiva, senão a tomou toda ela, caso correspondesse na época a precisa quinta parte de todo o Egito, o que sugere o texto. O resultado colabora com esta hipótese pois o acúmulo de grãos era tanto que foi comparado a areia do mar.

 

Talit Branco com Atará em Pedras

Lindo Talit Branco com listras prateadas. Atará decorada em pedras. Tamanho 70 (150/185cm) FRETE INCLUIDO

R$550.00

Há cinco mil anos atrás pobre teria direito a terra? Certamente se tratam das terras dos aristocratas e da corte do Faraó. Yosef quebrou as finanças da corte egípcia passando todas suas propriedades e lucros para o Estado. Começam os anos de fome e diz a Torá que no Egito tinha pão[6], mas logo em seguida diz que o povo veio a Faraó a pedir por pão. Certamente os primeiros a chegar foram os membros da corte. E que diz Faraó? “Vão a Yosef, o que ele disser façam!”.

ruling20ancient20egyptComo Yosef havia tomado a quinta parte das terras do Egito e toda sua produção foi estocada apenas ele tinha comida. E agora, o que fazer? VENDER! Yosef não repartiu a comida com o povo mas a vendeu! E se aplicou a lei do mercado deve ter vendido bem caro. Yosef enriqueceu a Faraó, portanto o que ele dissesse certamente o rei assinaria em baixo.

Agora vem a parte que certamente irritou os egípcios. Depois de se revelar a seus irmãos e se conciliar com eles, Yosef manda trazer a seu pai e convida a todos para viverem no Egito no qual lhes daria as terras de Goshen. Ou seja, tomou as terras dos cortesãos, mas deu terras para seus irmãos. E podem trazer tudo o que tem também os rebanhos de ovelhas e gado que eu os manterei lá, na terra de Goshen, faltou frisar que os manteria com o dinheiro que arrecadou com sua política.

Passados 97 anos o povo hebreu cresceu e se enriqueceu por ter terras férteis e a herança de Yosef. Morre o Faraó. Assuma o trono quem seja (muito provável o filho fruto do incesto)[7] e certamente a corte (tios, primos, irmãos etc…) já estariam alimentando a vingança na forma como educaram o antes infante herdeiro.

Depois de ter mostrado uma face tão cruel do governo de Yosef, devemos ter em conta que estamos falando de um mundo de 3.000 anos atrás onde não existia outra face que não fosse esta. Estamos falando de um mundo sem direitos humanos e de políticas sem regras. Devemos também ter em conta que tudo isso aconteceu baixo a providência divina que controla e regula toda a criação. Havia um propósito de escravizar os hebreus para que aprendessem a ser um povo.

Quando Hashem julga o Egito, não o julga só, também Am Israel foi julgado. Como está escrito na promessa a Abraham: “também eu julgarei a nação, à qual ela tem de servir”[8] e quando Moshe se reúne com os anciãos ele lhes diz: “tenho visto a vocês e o que foi feito a vocês no Egito”. A palavra visto usada aqui (פקד – pakad) também significa julgar. Sendo assim Hashem também julgou a Am Israel.

hourglassExplicam os sábios que o julgamento de Am Israel foi benevolente, temos que nos perguntar qual seria um mal juízo. Veremos na Parashá Bo que 2\3 dos hebreus não foram merecedores de sair do Egito morrendo aí na praga da escuridão. Este juízo se deu porque eles não queriam mesmo sair de lá. Gostavam da boa vida e dos deleites do Egito. Além do grande pecado da idolatria. Aprendemos na Mishná que um pecado provoca outro pecado sendo assim seu salário[9]. A soberba da riqueza levou com que essa gente preferisse o Egito em lugar de sua terra original; e seu desejo pelo Egito o fez se torna como ele, idólatras.

Hashem não deixa de exercer sua justiça, seja com quem for. Como está escrito: אֵל אֱמוּנָה וְאֵין עָוֶל צַדִּיק וְיָשָׁר הוּא – D’us é fiel e não é injusto, justo e reto Ele é (Devarim 32:4). Devemos ter em conta que todas nossas ações são contadas e demos nos considerar como pendentes de misericórdia para que sempre busquemos nos corrigir e decidir pelo caminho correto. Pois as vezes tão apenas o comportamento natural da humanidade pode nos abrir portas que nos levarão por caminhos que nos distanciam de D’us. Sejamos conscientes e mesmo dentre as coisas corretas, escolhamos o caminho da verdade.


[1] Bereshit 30:23-25

[2] Idem 41:46

[3] Idem 50:26

[4] Idem 45:11

[5] Idem 41:33

[6] Idem 41:54

[7] Parte dos egiptólogos crê que a herança real embora assumida por um homem era transmitida por uma mulher o que fazia com que os Faraós tivessem filhos com suas irmãs para manter a dinastia.

[8] Bereshit 15:14

[9] Avot 4:2

Anúncios


Categorias:Curiosidades, emuná, Parashá

Etiquetas:, , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: