Efer Tahat Peer


d799d7a8d795d7a9d79cd799d79d-d7a9d79c-d79ed7a2d79cd794-60-120-heavenly-jerusalem3

Traz sefer Yeshaiahu 61:3

לָשׂוּם לַאֲבֵלֵי צִיּוֹן לָתֵת לָהֶם פְּאֵר תַּחַת אֵפֶר שֶׁמֶן שָׂשׂוֹן תַּחַת אֵבֶל מַעֲטֵה תְהִלָּה תַּחַת רוּחַ כֵּהָה וְקֹרָא לָהֶם אֵילֵי הַצֶּדֶק מַטַּע יְהוָה לְהִתְפָּאֵר

A ordenar acerca dos enlutados de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de alegria em vez de luto, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; e serão chamados árvores de justiça, plantações do Senhor para sua glória.

Em parashat Pekudei vemos todas as quantidades de ouro, prata, bonzer, linho, seda e todos os materiais de valor que foram doados de bom coração para a construção do Mishkan.  Não podemos engrandecer a Deus porque ele já o é si mesmo, por isso que se acostuma a engrandecer, magnificar e honrar aquilo que o prepresenta ou o lembra como se tivéssemos engrandecendo a Ele mesmo. Quando nos traz a Torá “e fareis roupa sagrada para Aron teu irmão para honra e glória”[1], não é para a honra de Aron em si, mas para a honra de Hashem, sendo Aron apenas parte da casa dedicada a Hashem[2].

Porém, no passuk que trouxemos de Isaías vemos uma inversão. Ao reconstruir Jerusalém e seu Templo o luto e a dor será trocada por alegria e glória. Hashem promete compartir da glória que seria a Ele devotada com todo aquele que chorou, lamentou e esteve de luto por Jerusalém. Os sábios explicaram um passuk em Isaías que diz: “alegrarão a Jerusalém e regozijarão com ela todos os que a amam”[3], dizendo: “todo aquele se se enluta por Jerusalém terá o mérito de vê-la na alegria dela”[4].

Talit Iemenita 60

Talit tradicional yemenita em 100% lã de ovelhas. Tamanho 60 (140/185cm). FRETE INCLUIDO

650,00 ₪

Portanto, enquanto que Jerusalém não está reconstruída nossa alegria nunca é completa e em todos os nossos momentos alegres relembramos que “Hashem chora” por sua casa.  Por este motivo há o costume muito popular no povo judeu de não concluir a construção de uma casa e do noivo quebrar um copo baixo da chupá recitando o passuk: “se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a minha direita da sua destreza. Se me não lembrar de ti, apegue-se-me a língua ao meu paladar; se não preferir Jerusalém à minha maior alegria”[5]. Um constume antigo entre os sábios da guemará e hoje praticamente esquecido é o de colocar cinzas sobre a cabeça do noivo em lugar dos Tefilin. Efer Tahat Peer, cinzas em lugar de glória, assim se chama em referência ao passuk citado a cima. Hoje este costume ainda é mantido entre os yemenitas.

Devemos reconstruir Jerusalém, primeiramente dentro de nós. Edificar suas muralhas e reconstruir a Santa Casa para o estudo e cumprimento da Torá. Somente assim poderemos no futuro colocar sobre nossas cabeças o Peer que nos corresponderá.


[1] Shemot 28:2

[2] Guia dos Perplexos 3:45

[3] Yeshaiahu 66:10

[4] Taanit 30b

[5] Tehilim 137:5,6

Anúncios


Categorias:Parashá com Rambam, Uncategorized

Etiquetas:, , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: