Filósofo, Rabino e Humano


Na manhã deste sábado 20 de Cheshvan 5781 (07/11/2020) faleceu uma de minhas referências, senão a referência, do pensamento judaico contemporâneo. O Rabino Lord Jonathan Sacks ztz”l, 72 anos, foi um dos ícones do pensamento judaico do século XX e XXI. Tendo escrito mais de 30 livros, eu tive o prazer de disfrutar de
alguns, entre eles destaco sua última obra lançada neste ano: Morality:
Restoring the commun good in divided times
.

Meu primeiro contato com o pensamento de Rav Sacks foi através de seu livro A Letter in the Scroll: Understanding Our Jewish Identity and Exploring the Legacy of the World’s Oldest Religion. Este livro me despertou para a complexidade da
identidade judaica que vai além da identidade religiosa que comumente nos é
aprsentada. Mas justamente nesta obra ele apresenta o dilema de um judeu criado
dentro da tradição religiosa e que vem a conhecer e se relacionar com o mundo
fora de sua bolha cultural.

No seu último livro, o qual ainda estou lendo, Rav Sacks propõe o valor moral da
responsabilidade com o outro como forma de sanar, senão aliviar, os males dessa
sociedade cada vez mais individualista e agressiva a ideias contrárias. Rav
Sacks se despede de nós nos deixando uma lição de amor e fraternidade que deve
ser mútua não apenas com aqueles que compartilham de nosso pensamento,
ideologia, partido político ou credo, mas que deve ser compartilhado com toda a
sociedade. Nos últimos 20 anos a sociedade tem diminuído o uso de valores como
respeito, honra, consciência para usar valores de rancor, vergonha, direitos etc.

A sociedade está dividida em “eus”. O ego é mais forte que a razão. As pessoas se veem como exitosas sem mesmo se imaginarem no processo que poderá levar ao êxito. É como o estudante de terceiro ano que compra um estetoscópio para se ver como o médico do futuro e falta as aulas de biologia. Se não somos capazes de avaliar e enfrentar os processos que nos formam como profissionais, jamais estaremos preparados para entender os processos que levaram outra pessoa a ser o que ela é. E este é um dos motivos que nos leva a não aceitar os diferentes e seus processos.

A moralidade imposta por fatores externos é escravizante, mas a moralidade que parte do interior do indivíduo é libertadora.

A moralidade não pode ser terceirizada pois depende de cada um de nós. Sem o autocontrole, sem a capacidade de adiar as gratificações dos instintos, sem os hábitos do coração e ato que chamamos de virtudes, nós eventualmente perderemos nossa liberdade – Morality, Jonathan Sacks

Como estudante de Filosofia Judaica não poderia deixar de expressar meus
sentimentos e compartilhar um pouco dos últimos pensamentos daquele que me inspirou no equilíbrio de minha fé e na escolha de minha carreira.

Ficam aqui meu agradecimento e minha homenagem a Rabbi Lord Dr. Jonatahn
Sacks, ztz”l.



Categorias:Blogando, Curiosidades, emuná, Notícias

Etiquetas:,

6 replies

  1. Que o legado do Rabbi Lord Dr. Jonatahn
    Sacks, ztz”l. , possa inspirar a cada um de nós.

    Que profunda tristeza perda.😔

    Gostar

  2. Meus sentimentos, uma perca irreparável. No meu entendimento, um dos maiores pensadores do gênero humano e da modernidade judaica.

    Gostar

  3. Muito bom, muito bem escrito. Parabéns, Kaleb. Rabi Sacks continuará sempre uma referência.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: